PROCESSO SELETIVO 2023 INSCREVA-SE

GRADUAÇÃO - BACHARELADO EM MEDICINA VETERINÁRIA

Agora, é necessário aguardar o MEC publicar a portaria de autorização no Diário Oficial

OBJETIVOS DO CURSO

Os objetivos do Curso de Medicina Veterinária foram concebidos em conformidade com a Resolução CNE/CES Nº 3, de 15 de agosto de 2019, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Medicina Veterinária, implementados buscando-se uma coerência com o perfil profissional do egresso, com a estrutura curricular proposta, com o contexto educacional atual, com as características locais e regionais e, sobretudo, com práticas inovadoras do campo da Medicina Veterinária.

O Curso de Graduação em Medicina Veterinária que será oferecido pela  Faculdade AJES tem o propósito de atender ao perfil do profissional a formar em relação com as oportunidades concretas do mercado de trabalho, na atual conjuntura social, política e cultural. Entende-se que esta conjuntura requer profissionais competentes, críticos e criativos na perspectiva da formação do capital intelectual, portanto, capazes de criar ou redescobrir caminhos na área da Medicina Veterinária que respondam às demandas colocadas pela sociedade globalizada.

Revelando ainda, uma formação para o desenvolvimento, com motivação e permanente articulação, de competência para o trabalho em equipes multidisciplinares, com reconhecido nível de precisão para o exercício de suas funções com ética e proficiência referente às atribuições e prerrogativas que lhe são prescritas através da legislação específica.

OBJETIVO GERAL

O Curso de Medicina Veterinária da Faculdade AJES reflete os objetivos preconizados nas DCN do Curso, na legislação educacional e na Missão Institucional.

O Curso de Medicina Veterinária da Faculdade AJES tem por objetivo geral formar profissionais generalistas, com sólida formação científica, tecnológica e humanística com relação às atividades privadas e públicas inerentes ao exercício profissional, que responda as necessidades geográficas, econômicas, políticas, culturais e ambientas locorregional e nacional, contribua com o desenvolvimento sustentável, preservação ambiental e manutenção da fauna e flora.

Promovendo no aluno a capacidade de desenvolvimento intelectual e profissional autônomo e permanente; assim como a formação de um médico veterinário educado para a saúde única, meio ambiente, qualidade de vida, sociedade sustentável, equidade social e direitos humanos, e que contribua para o desenvolvimento social e econômico loco regional e do país

Objetivos Específicos

Os objetivos específicos aqui estabelecidos foram implantados e consideram o perfil profissional do egresso, a estrutura curricular, o contexto educacional, as características locais e regionais e as novas práticas emergentes no campo do conhecimento relacionado ao curso, conforme se segue:

  • Desenvolver as competências e habilidades gerais e específicas necessárias ao exercício profissional do Médico Veterinário articuladas às necessidades sociais e ambientais das ciências da saúde e agrárias, considerando seus campos específicos de atuação em saúde animal e clínica veterinária; saneamento ambiental e medicina veterinária preventiva, saúde pública e inspeção e tecnologia de produtos de origem animal; zootecnia, produção e reprodução animal e ecologia e proteção ao meio ambiente;
  • Tenham compromisso com o bem-estar animal e a bioética;
  • Tenham compromisso com o desenvolvimento criterioso do Estado do Mato Grosso, respeitando a diversidade de biomas e primando pela conservação do meio ambiente;
  • Reconheçam que todo o saber é resultado de um longo processo de construção do conhecimento, portanto, que a pesquisa e a extensão estão intrinsecamente relacionadas às atividades do Médico Veterinário;
  • Exercício da clínica de animais (pequenos e grandes) domésticos e selvagens;
  • Direção técnica sanitária de estabelecimentos industriais, inspeção de produtos de origem animal e fiscalização de matadouros, frigoríficos, fábricas de conservas de carnes e de pescado, fábricas de laticínios, entrepostos de carne, leite, peixes, ovos, mel, cera de abelha e demais derivados da indústria pecuária;
  • Ensino, direção, controle e a orientação dos serviços de biotécnicas reprodutivas;
  • Defesa da fauna, especialmente o controle de exploração das espécies animais silvestres e de seus produtos;
  • Organização da educação rural relativa à pecuária;
  • Meio ambiente e saúde pública: estudo e aplicação de medidas de saúde pública no tocante ao controle de doenças de animais que são transmissíveis ao homem (epidemias e zoonoses).

PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO

O perfil profissional almejado do egresso do Curso de Medicina Veterinária da Faculdade do AJES está coerente com as Diretrizes Curriculares Nacionais (DCNs) e com o Projeto Pedagógico do Curso (PPC).

Remetendo às DCNs (Resolução CNE/CES nº 3/2019), o caput do artigo 5º estabelece que " O Curso de Graduação em Medicina Veterinária tem como perfil do formando egresso/profissional o Médico Veterinário, com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, apto a compreender e traduzir as necessidades de indivíduos, grupos sociais e comunidades, com relação às atividades inerentes ao exercício profissional, no âmbito de seus campos específicos de atuação em saúde animal, saúde pública e saúde ambiental; clínica veterinária; medicina veterinária preventiva; inspeção e tecnologia de produtos de origem animal; zootecnia, produção e reprodução animal. Ter conhecimento dos fatos sociais, culturais e políticos; de economia e de administração. Capacidade de raciocínio lógico, de observação, de interpretação e de análise de dados e informações, bem como dos conhecimentos essenciais de Medicina Veterinária, para identificação e resolução de problemas visando a sustentabilidade econômica, social, ambiental e o bem-estar animal."

A formação do Médico Veterinário tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos para desenvolver ações e resultados voltados à área de Ciências Agrárias e da Saúde no que se refere à Produção Animal, Produção de Alimentos, Saúde Animal, Saúde Pública e Saúde Ambiental, além das seguintes competências e habilidades gerais:

 I – Atenção à saúde: os médicos veterinários devem estar aptos a desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo. Cada profissional deve assegurar que sua prática seja realizada de forma integrada e contínua com as demais instâncias do sistema de saúde. Sendo capaz de pensar criticamente, de analisar os problemas da sociedade e de procurar soluções para os mesmos. Os profissionais devem realizar seus serviços dentro dos mais altos padrões de qualidade e dos princípios da ética/bioética, considerando que a responsabilidade da atenção à saúde não se encerra com o ato técnico, mas sim, com a resolução do problema de saúde, em geral;

II – Tomada de decisões: o trabalho dos médicos veterinários deve estar fundamentado na capacidade de tomar decisões visando o uso apropriado, eficácia e custo-efetividade, da força de trabalho, de medicamentos, de equipamentos, de procedimentos e de práticas. Para este fim, os mesmos devem possuir competências e habilidades para avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas;

III – Comunicação: os médicos veterinários devem manter a confidencialidade das informações a eles confiadas, na interação com outros profissionais de saúde e o público em geral. A comunicação envolve comunicação verbal, não verbal e habilidades de escrita e leitura; o domínio de, pelo menos, uma língua estrangeira e de tecnologia de comunicação e informação;

IV – Liderança: no trabalho em equipe multiprofissional, os médicos veterinários devem estar aptos a assumir posições de liderança, sempre tendo em vista o bem-estar da comunidade. A liderança envolve compromisso, responsabilidade, empatia, habilidade para tomada de decisões, comunicação e gerenciamento de forma efetiva e eficaz;

V – Administração e gerenciamento: os médicos veterinários devem estar aptos a tomar iniciativas, fazer o gerenciamento e administração tanto da força de trabalho, dos recursos físicos materiais e de informação, da mesma forma que devem estar aptos a ser empreendedores, gestores, empregadores ou lideranças em equipes de saúde; e

VI – Educação permanente: os profissionais devem ser capazes de aprender, continuamente, tanto na sua formação, quanto na sua prática. Desta forma, os profissionais de saúde devem aprender a aprender e ter responsabilidade e compromisso com a sua educação e com o treinamento/estágios das futuras gerações de profissionais, mas proporcionando condições para que haja benefício mútuo entre os futuros profissionais e os profissionais dos serviços, inclusive, estimulando o desenvolvimento e desenvolvendo a mobilidade acadêmico/profissional, a formação e a cooperação através de redes nacionais e internacionais.

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES 

Em conformidade com o Art. 7º da DCN’s, a formação profissional dos egressos envolve a articulação entre conhecimentos, competências, habilidades em suas áreas de atuação: saúde animal, saúde pública e saúde ambiental; clínica veterinária; medicina veterinária preventiva; inspeção e tecnologia de produtos de origem animal; zootecnia, produção e reprodução animal, com competências e habilidades específicas para:

I – respeitar os princípios éticos inerentes ao exercício profissional;

II – avaliar grau de bem-estar animal a partir de indicadores comportamentais e fisiológicos e de protocolos específicos, bem com planejar e executar estratégias para a melhoria do bem estar animal visando a utilização de animais para os diferentes fins, com ênfase na bioética;

III – desenvolver, orientar, executar e interpretar exames clínicos e laboratoriais, bem como, identificar e interpretar sinais clínicos e alterações morfofuncionais;

IV – identificar e classificar os fatores etiológicos, compreender e elucidar a patogenia, bem como, prevenir, controlar e erradicar as doenças de interesse na saúde animal, saúde pública e saúde ambiental;

V – instituir diagnóstico, prognóstico, tratamento e medidas profiláticas, individuais e populacionais;

VI – planejar, elaborar, executar, avaliar e gerenciar projetos e programas de proteção ao meio ambiente e dos animais selvagens, bem como de manejo e tratamento de resíduos ambientais, participando também de equipes multidisciplinares;

VII – desenvolver, programar, orientar e aplicar técnicas eficientes e eficazes de criação, manejo, nutrição, alimentação, melhoramento genético, produção e reprodução animal;

VIII – planejar, orientar, executar, participar, gerenciar e avaliar programas de saúde animal, incluindo biossegurança, biosseguridade e certificação;

IX – planejar, orientar, executar, participar, gerenciar e avaliar a inspeção sanitária e tecnológica de produtos de origem animal;

X – planejar, orientar, gerenciar e avaliar unidades de criação de animais para experimentação (bioterismo); XI – planejar, organizar, avaliar e gerenciar unidades de produção de medicamentos, imunobiológicos, produtos biológicos e rações para animais;

XII – elaborar, executar, gerenciar e participar de projetos na área de biotecnologia da reprodução;

XIII – planejar, avaliar, participar e gerenciar unidades de serviços médico veterinários e agroindustriais;

XIV – realizar perícias, assistência técnica e auditorias, bem como elaborar e interpretar laudos periciais e técnicos em todos os campos de conhecimento da Medicina Veterinária;

XV – planejar, elaborar, executar, gerenciar e participar de projetos e programas agropecuários e do agronegócio;

XVI – exercer a profissão de forma articulada ao contexto social, entendendo-a como uma forma de participação e contribuição social;

XVII – conhecer métodos de busca da informação, técnicas de investigação e elaboração de trabalhos técnicos, acadêmicos, científicos e de divulgação de resultados;

XVIII – assimilar e aplicar as mudanças conceituais, legais e tecnológicas ocorridas nos contextos nacional e internacional, considerando aspectos da inovação;

XIX – avaliar e responder com senso crítico as informações que são oferecidas durante seu processo de formação e no exercício profissional;

XX – participar no planejamento, execução, gerenciamento e avaliação de programas e ações para promoção e preservação da saúde única, no âmbito das estratégias de saúde da família e outros segmentos de atividades relacionadas ao médico veterinário junto à comunidade;

XXI – planejar, orientar, executar, participar, gerenciar e avaliar programas de análises de riscos envolvendo possíveis agravos à saúde animal, à saúde pública e à saúde ambiental; e XXII – prevenir, identificar, controlar e erradicar doenças emergentes e reemergentes com vistas à atuação no serviço veterinário oficial e privado.

MERCADO DE TRABALHO

Novas áreas estão se delineando para o perfil do médico veterinário que, além das competências e habilidades destacadas até então, deverá estar atento e capacitado para enfrentar   mudanças, dominar   novas   tecnologias, interpretar   o   processamento   pelos computadores e utilizar de forma eficiente os recursos da Inteligência Artificial.

Deverá estar preparado para desenvolver fortemente o enfoque humanístico da profissão. Particularmente após a grande catástrofe de 2021 e que se repete em 2022, com as queimadas desenfreadas no Pantanal mato-grossense e desmatamento na Amazônia, ficou evidente a necessidade e importância de profissionais em Medicina Veterinária de Desastres e do Coletivo, áreas com muitos pontos afins, não só pelo atendimento médico veterinário de resgate e atendimento de animais vitimados, como, também, na área de segurança alimentar e controle de pragas nos locais atingidos, Medicina Veterinária de Abrigos, Saúde Coletiva e Medicina Veterinária Legal.

Soma-se a isso, especialidades que estão se desenvolvendo com uma visão de futuro, como a Gestão Hospitalar e a Medicina Veterinária Intensiva cuja atuação intensivista vai além da estabilização de quadros graves, se preocupando com a reabilitação e nutrição de pacientes que estejam internados em UTIs.

Destaca-se ainda, a necessidade de avançar no estudo da genômica e assim ter maior domínio sobre os novos ciclos de doenças, na busca de maior equilíbrio socioambiental.