PROCESSO SELETIVO 2022 INSCREVA-SE

GRADUAÇÃO - BACHARELADO EM ENFERMAGEM

Agora, é necessário aguardar o MEC publicar a portaria de autorização no Diário Oficial

OBJETIVOS DO CURSO

Os objetivos do Curso de Enfermagem foram concebidos em conformidade com a Resolução CNE/CES Nº 3, DE 7 de novembro de 2001, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação de Enfermagem, e serão implementados buscando-se uma coerência com o perfil profissional do egresso, com a estrutura curricular proposta, com o contexto educacional atual, com as características locais e regionais e, sobretudo, com práticas inovadoras do campo da Enfermagem.

OBJETIVO GERAL

Integrar a teoria e a prática, utilizando-se de experiências de aprendizagem centradas na solução de problemas reais, a partir da compreensão da realidade socioeconômica, política e de saúde loco ? regional e da visão do homem na sua integralidade, valorizando a formação generalista, humanística, social, crítica e reflexiva do graduando.

Os objetivos do Curso tornam-se desafiadores, no sentido em que ele deve atender demandas legais, seja para responder a demandas emanadas do mercado de trabalho, formando profissionais competentes e atentos ao acelerado processo de mudança científico-tecnológica que ocorre no campo da área da saúde, seja para preparar o futuro profissional para os desafios impostos à sua inserção geográfica, social e de atuação no contexto político nacional e regional.

Por outro ângulo, os objetivos do Curso de Enfermagem incluem exigências de urgente inclusão de temas transversais na formação profissional do Enfermeiro: sustentabilidade, promoção de saúde, cultura de paz, respeito à diversidade, aos direitos humanos, e aos aspectos éticos e efetivos inerentes ao cidadão e ao profissional.

Objetivos Específicos

  • Oferecer um currículo sólido, inovador, atento às demandas do desenvolvimento social atual, proporcionando ao aluno habilidades empreendedoras, criativas e autônomas;
  • Proporcionar formação contextualizada com inserção institucional da IES, política, geográfica e social;
  • Propor discussões teóricas e filosóficas que motivem a sensibilidade humanista, o posicionamento moral e o senso crítico, para que o aluno possa agir eticamente no campo da Enfermagem;
  • Apresentar um percurso formativo interdisciplinar, para que o aluno seja capaz de participar do desenvolvimento da sociedade brasileira, respeitando a diversidade, a justiça, a equidade e a solidariedade;
  • Trabalhar ações inovadoras a partir das metodologias ativas de aprendizagem, proporcionando ao aluno a adequação entre teoria e prática;
  • Estimular a produção científica e a extensão através dos projetos institucionais;
  • Promover a integração do Curso com a comunidade do entorno da Faculdade AJES, através do fortalecimento do eixo ensino-pesquisa-extensão, objetivando a complementação da formação do aluno e a melhoria das condições de vida da população;
  • Formar enfermeiros comunicadores e líderes com competência para o trabalho em equipe multiprofissional a fim de, com embasamento teórico, responsabilidade e comprometimento, facilitar a tomada de decisões na área da saúde;

Procurando atender a novas demandas do mercado e às inovações propostas a todos os Cursos da Faculdade AJES, estão inseridas no currículo do Curso de Bacharelado em Enfermagem as disciplinas PRÁTICAS COMTEMPORÂNEAS EM ENFERMAGEM e PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES (PIC’s), que propõem abordar inovações e atualidades da profissão, fornecendo aos acadêmicos subsídios para explorar nichos de mercado, como a Tele Saúde, o Tele Diagnóstico e a Medicina Alternativa, por exemplo, além da investida no empreendedorismo, abordado de maneira transversal nas ementas de algumas disciplinas e em disciplina específica, contemplando-se, entre possibilidades de natureza vária, a função do enfermeiro empreendedor no Home Care, investimentos em clínica para idosos, de acordo com resolução RDC nº 502, de 27 de maio de 2021, e clínica de parto por enfermeiros, seguindo os preceitos da resolução COFEN Nº 524/2016.

COMPETÊNCIAS E HABILIDADES 

Em conformidade com o Art. 4º da DCN’s, a formação do enfermeiro tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades gerais:

1. Atenção à saúde: os profissionais de saúde, dentro de seu âmbito profissional, devem estar aptos a desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, tanto em nível individual quanto coletivo. Cada profissional deve assegurar que sua prática seja realizada de forma integrada e contínua com as demais instâncias do sistema de saúde, sendo capaz de pensar criticamente, de analisar os problemas da sociedade e de procurar soluções para os mesmos. Os profissionais devem realizar seus serviços dentro dos mais altos padrões de qualidade e dos princípios da ética/bioética, tendo em conta que a responsabilidade da atenção à saúde não se encerra com o ato técnico, mas sim, com a resolução do problema de saúde, tanto em nível individual como coletivo;2. Tomada de decisões: o trabalho dos profissionais de saúde deve estar fundamentado na capacidade de tomar decisões visando o uso apropriado, eficácia e custo-efetividade, da força de trabalho, de medicamentos, de equipamentos, de procedimentos e de práticas. Para este fim, os mesmos devem possuir competências e habilidades para avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas;

3. Comunicação: os profissionais de saúde devem ser acessíveis e devem manter a confidencialidade das informações a eles confiadas, na interação com outros profissionais de saúde e o público em geral. A comunicação envolve comunicação verbal, não-verbal e habilidades de escrita e leitura; o domínio de, pelo menos, uma língua estrangeira e de tecnologias de comunicação e informação;

4. Liderança: no trabalho em equipe multiprofissional, os profissionais de saúde deverão estar aptos a assumir posições de liderança, sempre tendo em vista o bem-estar da comunidade. A liderança envolve compromisso, responsabilidade, empatia, habilidade para tomada de decisões, comunicação e gerenciamento de forma efetiva e eficaz;

5. Administração e gerenciamento: os profissionais devem estar aptos a tomar iniciativas, fazer o gerenciamento e administração tanto da força de trabalho quanto dos recursos físicos e materiais e de informação, da mesma forma que devem estar aptos a serem empreendedores, gestores, empregadores ou lideranças na equipe de saúde; e

6. Educação permanente: os profissionais devem ser capazes de aprender continuamente, tanto na sua formação, quanto na sua prática. Desta forma, os profissionais de saúde devem aprender a aprender e ter responsabilidade e compromisso com a sua educação e o treinamento/estágios das futuras gerações de profissionais, mas proporcionando condições para que haja benefício mútuo entre os futuros profissionais e os profissionais dos serviços, inclusive, estimulando e desenvolvendo a mobilidade acadêmico/profissional, a formação e a cooperação por meio de redes nacionais e internacionais;

7. Empreendedorismo: O profissional da enfermagem  deve dispor de senso de oportunidade, ser autônomo, independente, flexível, determinado, inovador, proativo, autoconfiante, disciplinado, comunicativo, responsável, tomar riscos calculados, agir de forma holística, conquistar novos cenários de atuação voltados ao cuidado, agregar valor à profissão perante a sociedade, impulsionar o crescimento econômico do país, realizar a gestão financeira e de conflitos, ter consciência legislativa e voltar-se para o futuro e que tenha senso de oportunidade nas áreas afins da enfermagem e da saúde.

Em conformidade como Art. 5º das Diretrizes Curriculares Nacionais do curso de Graduação em Enfermagem (Resolução CNE/CES nº 3, de 7 de novembro de 2001), o curso de graduação em Enfermagem da FACULDADE AJES visa preparar o profissional para as seguintes competências e habilidades específicas:

  1. atuar profissionalmente, compreendendo a natureza humana em suas dimensões, em suas expressões e fases evolutivas;
  2. incorporar a ciência/arte do cuidar como instrumento de interpretação profissional;
  • estabelecer novas relações com o contexto social, reconhecendo a estrutura e as formas de organização social, suas transformações e expressões;
  1. desenvolver formação técnico-científica que confira qualidade ao exercício profissional;
  2. compreender a política de saúde no contexto das políticas sociais, reconhecendo os perfis epidemiológicos das populações;
  3. reconhecer a saúde como direito e condições dignas de vida e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema;
  • atuar nos programas de assistência integral à saúde da criança, do adolescente, da mulher, do adulto e do idoso;
  • ser capaz de diagnosticar e solucionar problemas de saúde, de comunicar-se, de tomar decisões, de intervir no processo de trabalho, de trabalhar em equipe e de enfrentar situações em constante mudança;
  1. reconhecer as relações de trabalho e sua influência na saúde;
  2. atuar como sujeito no processo de formação de recursos humanos;
  3. responder às especificidades regionais de saúde através de intervenções planejadas estrategicamente, em níveis de promoção, prevenção e reabilitação à saúde, dando atenção integral à saúde dos indivíduos, das famílias e das comunidades;
  • reconhecer-se como coordenador do trabalho da equipe de enfermagem;
  • assumir o compromisso ético, humanístico e social com o trabalho multiprofissional em saúde;
  • promover estilos de vida saudáveis, conciliando as necessidades tanto dos seus clientes/pacientes quanto às de sua comunidade, atuando como agente de transformação social;
  1. usar adequadamente novas tecnologias, tanto de informação e comunicação, quanto de ponta para o cuidar de enfermagem;
  • atuar nos diferentes cenários da prática profissional, considerando os pressupostos dos modelos clínico e epidemiológico;
  • identificar as necessidades individuais e coletivas de saúde da população, seus condicionantes e determinantes;
  • intervir no processo de saúde-doença, responsabilizando-se pela qualidade da assistência/cuidado de enfermagem em seus diferentes níveis de atenção à saúde, com ações de promoção, prevenção, proteção e reabilitação à saúde, na perspectiva da integralidade da assistência;
  • coordenar o processo de cuidar em enfermagem, considerando contextos e demandas de saúde;
  1. prestar cuidados de enfermagem compatíveis com as diferentes necessidades apresentadas pelo indivíduo, pela família e pelos diferentes grupos da comunidade;
  • compatibilizar as características profissionais dos agentes da equipe de enfermagem às diferentes demandas dos usuários;
  • integrar as ações de enfermagem às ações multiprofissionais;
  • gerenciar o processo de trabalho em enfermagem com princípios de Ética e de Bioética, com resolutividade tanto em nível individual como coletivo em todos os âmbitos de atuação profissional;
  • planejar, implementar e participar dos programas de formação e qualificação contínua dos trabalhadores de enfermagem e de saúde;
  • planejar e implementar programas de educação e promoção à saúde, considerando a especificidade dos diferentes grupos sociais e dos distintos processos de vida, saúde, trabalho e adoecimento;
  • desenvolver, participar e aplicar pesquisas e/ou outras formas de produção de conhecimento que objetivem a qualificação da prática profissional;
  • respeitar os princípios éticos, legais e humanísticos da profissão;
  • interferir na dinâmica de trabalho institucional, reconhecendo-se como agente desse processo;
  • utilizar os instrumentos que garantam a qualidade do cuidado de enfermagem e da assistência à saúde;
  • participar da composição das estruturas consultivas e deliberativas do sistema de saúde;
  • assessorar órgãos, empresas e instituições em projetos de saúde;
  • cuidar da própria saúde física e mental e buscar seu bem-estar como cidadão e como enfermeiro;
  • reconhecer o papel social do enfermeiro para atuar em atividades de política e planejamento em saúde; e
  • assumir papel empreendedor e ser capaz de administrar clínicas e ou consultórios de acordo com a legislação vigente.

Sintetizando, pode-se afirmar que o perfil profissiográfico do egresso do curso encontra-se em consonância com as diretrizes curriculares para o pleno exercício da profissão, contemplando o domínio de conhecimentos e habilidades no atendimento à saúde e em situações e contextos que requerem tomadas de decisões, comunicação, liderança, administração e gerenciamento e educação permanente.

No exercício de sua profissão, o enfermeiro, quando egresso, terá a compreensão de que o ambiente de trabalho é parte integrante do sistema de atenção à saúde, e o cliente sujeito de suas ações, que pode ser incentivado na busca de melhores condições de saúde e de qualidade de vida. Como tal, o enfermeiro é capacitado para perceber e transformar, continuamente, a realidade, gerando novos conhecimentos por meio de uma atuação profissional consistente.

A formação do Enfermeiro deve atender às necessidades sociais da saúde, com ênfase no Sistema Único de Saúde (SUS), e assegurar a integralidade da atenção e a qualidade e humanização do atendimento.

PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO

Enfermeiro com formação generalista, com senso crítico e reflexivo, com atuação profissional pautada nos valores éticos e humanísticos, reconhecendo seu papel como agente transformador, sendo capaz de identificar o ser humano em suas dimensões biopsicossociais. Que conheça e seja capaz de intervir sobre os problemas/situações de acordo, principalmente, com o perfil epidemiológico da região noroeste de Mato Grosso, de forma a promover, proteger e recuperar a saúde do indivíduo com responsabilidade social e compromisso com a cidadania. Responsável pela busca do próprio aprimoramento técnico, científico e cultural, visando melhoria de sua atuação e o progresso da enfermagem.

As metas propostas para o Curso de Enfermagem da Faculdade AJES proporcionam ao discente que receba formação com capacitação teórica e prática, suficientemente concisa e diferenciada, garantindo ao graduando uma maior possibilidade de atuação profissional num mercado de trabalho seletivo e competitivo. 

A Instituição tem como filosofia formar profissionais críticos, reflexivos e com sensibilidade solidária, de modo que respondam adequadamente às demandas sociais impostas por uma sociedade tecnológica, globalizada e competitiva. Não basta ao graduando apenas o conhecimento técnico e teórico para a solução das questões que irá encontrar em sua vida profissional.

A Faculdade AJES, concebe, assim, um curso de Enfermagem numa perspectiva interdisciplinar como ciência que, além de sua especificidade, mantém interface com outras ciências que juntas melhor propiciem o empreendimento individual, coletivo; socialmente responsável e abrangente.

CAMPOS DE ATUAÇÃO DO PROFISSONAL

O Enfermeiro graduado pela Faculdade AJES poderá atuar nas áreas da atenção primária, secundária e terciária. Poderá atuar também na gestão e pesquisas, executando as seguintes funções, de acordo com a Resolução CNE/CES nº 3, de 7 de novembro de 2001, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Enfermagem:

  • Assistencial: o profissional poderá atuar na área hospitalar, domiciliar, clínicas de enfermagem, consultórios, ambulatórios, unidades de saúde e assistência médica, empresas públicas e privadas, entre outros, com o compromisso da indissociabilidade da assistência ao ensino-pesquisa-extensão, pois a extensão é o espaço das vivências e confrontos entre teoria e prática, numa dinâmica dialógica, multiprofissional e socialmente compromissada;
  • Gestão: poderá administrar unidades e/ou serviços de enfermagem em qualquer instituição, assessoria e/ou consultoria de enfermagem;
  • Ensino: poderá atuar como professor de cursos técnicos e profissionalizantes, na área de enfermagem e/ou áreas afins;
  • Pesquisa: tanto no campo de ensino como na prática profissional, poderá desenvolver investigações científicas, bem como acompanhar a constante evolução das ciências na busca de soluções para os problemas que envolvem a profissão e a saúde do ser humano;
  • Empreendedor: com olhar voltado ao reconhecimento de uma oportunidade, oportunizado à sociedade alternativas para o cuidado, a saúde e bem-estar.